Passageiros enfrentam segundo dia de greve dos motoristas de ônibus no Grande Recife

No segundo dia de greve dos motoristas de ônibus no Grande Recife, os passageiros tiveram que esperar em filas pelos coletivos. Quando conseguiram condução, sofreram com a lotação.

A paralisação teve início da terça (22). Os rodoviários exigem o fim da dupla função, quando os condutores também atuam como cobradores, além de pagamento de reajuste retroativo e garantia de emprego por seis meses.

Na tarde de terça, o Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região (TRT-6) determinou que o Sindicato dos Rodoviários assegure pelo menos 50% da frota de ônibus circulando nos horários de pico na Região Metropolitana. Ou seja, das 5h às 9h e das 16h às 20h.

Nos horários de baixa demanda, a determinação é de 30% da frota circulando. Caso a ordem seja descumprida, há uma multa de R$ 100 mil.

A quantia deve ser paga ao Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE), que entrou com ação para suspender o movimento.

A entidade também autorizou a contratação emergencial de motoristas e cobradores para ocupar as vagas dos profissionais que entraram em greve.

Mesmo assim, passageiros tiveram dificuldade para voltar para casa, na noite de terça. Uma audiência de conciliação foi marcada para as 10h deste terça, por videoconferência, no TRT-6.

Mesmo com a determinação da Justiça, o percentual de veículos nas ruas não foi cumprido no início desta quarta.

Às 6h, segundo o Grande Recife Consórcio, havia 833 carros rodando. Isso significa 34% do estabelecido para o horário. Às 7h, 43% dos veículos tinham saído das garagens, segundo a entidade.

Fonte: G1PE

Foto: Guilherme Silva/Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *